19.8.04

Paneleirinhos novos

Ontem fique tão escangalhado de nervos com o jogo da selecção portuguesa que quase não fui capaz de ir à “caça” de grelos. É de um gajo ficar mesmo fodido. Então aquela canalha que ganha tanto dinheiro não é capaz de vencer a equipas como o Iraque ou a Costa Rica? Bom, só um mês de vencimento do Cristiano Ronaldo deve dar para pagar aquela malta toda durante a carreira de futebolistas. Não sei se estão a ver bem o esquema.
Eu bem os vejo cá em Albufeira quando eles estão de férias. Andam aí pelos bares e discotecas armados em pavões, comem umas gajas giras, bebem uns barranassos valentes e depois passeiam-se em grandes máquinas. São uns senhores. Claro que depois vão para os jogos e não jogam um peido e a malta é que sofre. Ora bem, há que fazer alguma coisa para os castigar. Tenho várias propostas:

- Ouvir os discos todos do Tony Carreira durante um dia seguido.
- Assistir, enquanto durar, todas as telenovelas da TVI.
- Participar no público do programa Vidas Reais
- Ouvir uma lição de História Mundial contada pelo George W. Bush.
- Ler todos os dias o blogue Barnabé e outra tretas semelhantes escritas por pseudo-intelectuais de esquerda.
- Participar num comício do Bloco de Esquerda e aplaudir com entusiasmo as merdas que o Louçã vomita cá para fora.
- Assistir, um dia a fio, à programação do SIC Mulher.
- Ler todos os discursos do Jorge Sampaio em voz alta no meio da Rua Augusta
- Ensinar, com sucesso, ao José Mourinho o conceito de humildade.
- Ir a 10 festas de seguida ao Clube Casa do Castelo na companhia da Lili Caneças.
- Explicar, como sucesso, ao José Castelo Branco o que significa passar as fronteiras com milhões de euros em jóias sem declarar ás autoridades.
- Vestirem-se de mulheres e aparecerem na frente do Zézé Camarinha com ar sedutor.
- Dar um beijo na boca da Odete Santos
- Ouvir os programas de rádio do António Sala.
- Ouvir as anedotas do Fernando Rocha sem vomitar ou cortar os pulsos .
- Quinze dias fechados na mesma cela do Bibi.

Se souberam de mais alguns castigos, façam o favor de transmitir.

18.8.04

Técnicas de sedução

Há malta que me pergunta:
- Ó Zé vagina, mas como é que tu consegues comer tanta gaja? Onde vais buscar a força e o charme?
Há tipos assim, gostam de saber os segredos de um gajo como eu que come camones boas ou más - não interessa para o caso até porque uma cona é uma cona e outra cona é outra cona e não se podem comparar nem desperdiçar – com o mesmo à vontade como come sardinhas assadas em cima do pão acompanhado com gaspacho e um copo de vinho tinto bem fresquinho.
Tenho os meus métodos físicos e psicológicos, os quais já expliquei sumariamente lá para baixo. Mas para lá da força que um gajo tem concentrada na verga, há também um certo charme que é preciso ter em conta e nestas coisas da sedução podemos ter de tudo um pouco. Por exemplo: Há gajas que gostam de ter um macho em cima delas que cheire a cavalo. Há outras que só se ajoelham para rezar se um tipo puser perfumes caros tipo Denim ou 8X4. Tudo depende. As camones normalmente não são muito exigentes. O que elas querem é apanhar o maior número de fodas no pouco tempo que estão cá em Albufeira, por isso tanto lhes dá se um gajo tira macacos do nariz com a unha grande do dedo mindinho ou se dá um par de peidos e desata a rir. As gajas querem é foder.
Mas há outras que realmente não são bem assim. Gostam de um agradozinho de um miminho de uma palavra mais doce do tipo: ou minha ganda puta, vira para cá o cú para saberes o que é pau de marmeleiro pronto para fazer espetadas. Outras preferem ouvir coisas mais suaves do tipo: essa tua boquinha tem a forma da minha mangueira de fazer xixi.
Há de tudo. Um gajo não pode ser alarve mas também não pode ser banana. Tem que contornar as questões com nível. Se um gajo se vira para a gaja e lhe diz:
- Querida, estou a ter uma erecção no meu objecto fálico de tal ordem que as peças de roupa que levo vestidas já não conseguem esconder este ímpeto que vai em mim e que no fundo não é mais do que o desejo de te fazer mulher num leito doce com lençóis de cetim e um espelho no tecto para que possamos contemplar cada gesto como se fosse o último, como se fosse um toque de arte. – Arrisca-se a ir para casa bater à punheta para não ficar com os tomates cheios que nem um ovo
E é assim. Gaja que é gaja, gosta é de levar na tota. O resto é o jogo de cintura que determina o resto.

10.8.04

Agora lambe-te

>
Ontem à noite calhou-me esta na rifa. Nem vos conto. Eram 3 da madrugada e ainda estava de roda dela. Para conseguir jogar o rancor cá para fora tive que me concentrar e pensar que o Vasco da Gama fez um grande esforço para chegar à Índia e que o Pedro Álvares Cabral podia ter morrido pelo caminho na descoberta do Brasil. Lembrei-me também do sacrifício do Durão Barroso que foi para Bruxelas fazer o grande esforço de representar cá o pessoal e do Figo que é apenas mais um dos nossos emigrantes destemidos que um dia tiveram que sair de Portugal para ganhar a vidinha.
Por tudo isto pensei: - Zé, tu és português, não podes defraudar a nação e os teus compatriotas. Se outros fizeram grandes coisas e sacrifícios por Portugal, tu não podes deixar esta baleia mal parida ir-se embora a pensar que não tiveste tesão com ela e que só a comeste porque ela te deu 100 euros e mais uma camisa da Guess. Vai daí: TOOOOMA. Já está. Agora lambe-te.

Técnicas sexuais do Zé Vagina

No outro dia um amigo fez-me uma pergunta:
- Ó Zé Vagina, tu quando estás a comer uma camone já a roçar a terceira idade não começas a pensar que ela podia ser tua mãe ou tua avó?
É claro que não. Um homem quando dá uma berlaitada deve estar concentrado no que tem nas mãos para não fazer má figura. Nalgumas vezes tenho da manter a concentração mais apurada do que noutras. Em último recurso um gajo fode a camone mas não lhe olha para a cara ou então, aproveita a onda de patriotismo que inundou o país nos últimos tempos e mete-lhe uma bandeira pela cabeça a baixo e diz-lhe que aquela foda é um acto patriótico.
- Ó Zé Vagina, então e se for uma gaja boa?
Bom, nesses casos também existe solução. Por exemplo: Imaginem uma gaja muita boa que mal olhamos ficamos logo de pau feito e quando nos toca já estamos a olhar para as nuvens para ver se foi o JC que numa acção de graças nos enviou o material. Quando estou a mocar uma dessas gajas muita boas, tenho que arranjar algum expediente para não me vir logo.
E perguntam vocês: - Mas Zé Vagina, como consegues?
É fácil. Existem várias técnicas.
Uma delas é pensares que em vez de estares a comer a gaja que é podre de boa, estás com a Lili Caneças antes dela ter feito aquelas obras de beneficiação na cara. Lembram-se quando ela parecia um charroco mal congelado apanhado há uma semana? É uma das técnicas.
Se essa não resultar e o grampo começar a querer por o leitaço cá fora, faço um esforço suplementar de concentração e imagino a cara do Ferro Rodrigues em cima daquele corpinho escultural da gaja que estou a comer. Normalmente nesta fase consigo controlar-me.
Para aquelas gajas tipo Marisa Cruz que um gajo não pode sequer passar no mesmo lado da rua para evitar que alguém tropece no nosso objecto fálico, então a terapia tem de ser de choque.
E perguntam-me outra vez vocês com vontade de saberem os segredos funcionais do Zé Vagina:
- Então se a gaja está ao nível da Marisa Cruz e tu não tens a preparação a física do João Pinto, como fazes?
Bem, nesse caso começo a lembrar-me daquela vez em que a Linda Reis se descascou no programa do panasca do Herman. Garanto-vos que é o melhor remédio para um gajo evitar que o leite condensado venha para fora do fervedouro antes do tempo. Resulta sempre ou quase sempre. Há vezes em que um gajo, mesmo usando estas técnicas, não se aguenta.
Mas acreditem que tudo isto vai com o tempo e com a experiência.

5.8.04

Quando chega o cabrão do Inverno

Apareceu aqui um gajo a perguntar o que o Zé Vagina faz depois do Verão. A resposta é simples. Posso fazer várias coisas como posso não fazer nada. Isso tem a ver com a forma como correu o Verão. Isto é assim. A partir de Abril começam a chegar camones aqui a Albufeira. Depois em Junho/Julho começam a chegar algumas portuguesas. Por fim em Agosto chega tudo quanto é murraça, principalmente aqulas gajas de Lisboa que andam mal fodidas pelos maridos ou pelos namorados o ano inteiro e quando apanham cá o Zé Vagina até prometem ir a Fátima a fazer o pino para terem uma nova oportunidade de levar com o pau de lixa.
Se as camones que se ajoelham para rezar forem muitas e com papel para gastar, no Inverno não faço quase nada. Dou uma foda por mês na minha Vivelinda só para ela manter o grelo em forma ligeira e o resto do tempo descanso, faço uns biscates só para manter a clientela mais ou menos por perto, precavendo Invernos mais difíceis, vou ao ginásio de um amigo levantar uns pesos para manter o cabedal pronto para ser consumido e pouco mais. A ideia é manter a forma para quando começarem a chegar mais bifas, cá o Zé Vagina saltar para a espinha delas no pico de forma. É que um gajo não pode deixar mal o país. Vocês nem queiram saber o que é uma camone mal fodida. A gaja vai lá para a terra dela e farta-se de dizer que nós os portugas não temos tesão ou então que vamos abaixo depressa. Com a reputação de um país não se brinca. Esta merda não é só por bandeirinhas na janela. Um gajo tem que molhar o pincel e fazer umas gravuras à séria se quer que as gajas continuem a vir para cá. Além disso, quanto mais se fode no Verão, mais dinheiro fica para o Inverno. Isto é fácil de explicar. No meio de tanta gaja boa que quer saltar para cima do badalejo, há sempre umas que ninguém lhes pega, a não ser eu. E porquê? Porque para mim uma cona é uma cona e não há que rejeitar. Um gajo não pode cuspir na sopa. Se a cona se abre, um gajo só tem que entrar e fazer uns floreados à maneira e por a puta aos saltos a chamar pelo pai. Isto é mesmo assim. Ora essas gajas que têm uma cara que mais parecem a parte de trás de um desastre de comboios, pagam a um gajo para lhes dar uma injecção de carne nas nalgas ou no grelo. Ora se um gajo dosear a coisa, ou seja, por cada bicicleta que foder, comer também um tractor mas com papel, um gajo safa-se.
Se o Verão for uma cagada, lá tenho que vergar a mola no Inverno. Como já vos contei, quis inscrever-me no Rendimento Mínimo Garantido mas o gajo que trata lá dos papéis disse-me que eu tinha que assinar uma ficha de militante do PS e eu mandei o gajo ir levar no cú. Como entretanto o governo mudou tenho que lá voltar a ver se alguém me dá o papel. Um dos critérios de escolha, eu consigo cumprir. Não quero trabalhar. Isso já é um motivo forte para me darem o Rendimento Mínimo.
Espero que tenha sido explícito. Se não fui, vão levar no cú que estamos no Verão e eu tenho umas gajas para papar que o Inverno é longo e qualquer dia está a chegar.

Cambada de paneleiros

Este país está cheio de comentadores políticos paneleiros. Os partidos de esquerda são igualmente constituídos por paneleiragem. Passo a explicar.
A maior critica que tenho ouvido sobre o Santana Lopes é que ele já teve muitas gajas. Então mas isso é defeito? Comer gajas é defeito? É pecado um gajo molhar a sopa em várias panelas? É mau um gajo comer uma gaja de manhã, outra à tarde e duas diferentes à noite? Foda-se é preciso serem muito invejosos. Imaginem que o gajo era panasca. Iam dizer o quê? Que ele devia era comer mulheres? Então no que ficamos?
Depois dizem que o Santana vai à discoteca. Então e qual é o problema? Onde é que um gajo encontra mais vajostas aos saltos se não na discoteca? Quantos destes paneleiros dos jornais e dos partidos de esquerda é que nunca foram à discoteca à procura de uma gaja que queira fazer uns bicos e dar umas berlaitadas? Cambada de paneleiros. Ou então cambada de anjinhos. Querem ver que estes gajos nunca puseram o pé na risca. Nunca deram uma facadinha no matrimónio. O Santana é o primeiro ministro que Portugal merece. Um gajo com uns tomates bem grandes para por esta canalha de borboletas na linha.

26.7.04

Ide-vos foder

O nosso querido Portugal está quente porque está calor e porque está a arder. Todos os anos é a mesma merda. Mas isto um dia vai parar. No dia em que já não houver nada para queimar isto acaba. Ou então podemos fazer outra coisa mais fácil, cortamos todas as árvores e florestas que existem no nosso país e acaba-se o problema mais depressa. Tudo tem uma solução.
Tal como também tem solução uma maneira de acabar com os incendiários que por aí andam. Apanhem um e metam-no dentro de uma daquelas casas a arder de pessoas que ficaram sem uma muda de roupa para vestir e vão ver se esses cabrões não vão pensar duas vezes antes de atear o fogo. Outro remédio não tão drástico é as autoridades entregarem-me os sacanas dos incendiários para eu lhes tratar da saúde. Como? Muito fácil. Levo-os aqui a uma obras que se estão a fazer em Albufeira e entrego-os aos angolanos, moçambicanos, guineenses, ucranianos, moldavos e russos que há uma data de tempo não sabem o que é uma crica aos saltos ou um olho do cú apertadinho. Eles tratavam da saudinha a essa maltinha. O pior é se algum em vez de ter um castigo, acaba tendo um prémio. Nunca se sabe. O que não falta por aí é paneleiragem.

24.7.04

Muita areia para a minha camioneta

Como já aqui disse uma vez no tempo do Guterres precisei de me inscrever no Rendimento Mínimo Garantido porque não apareciam biscates para fazer, as bifas que costumo comer eram escassas e além disso não me apetecia trabalhar. Como esta última questão era um dos motivos que levavam mais pessoal a inscrever-se no RMG, lá fui eu também. Acabei por não receber nem um tostão porque uma das condições para receber a massa era filiar-me no PS e eu cá não gramo essas merdas de pertencer a partidos.
Hoje fico ainda mais satisfeito de ter mandado levar no cú o gajo que me queria inscrever no PS. Imaginem o dilema que eu tinha agora com esta cena das eleições. Em quem é que cá o Zé Vagina ia votar?
O Sócrates não deve ser boa rolha. Então fiquei a saber ontem no café onde fui tomar uma bica e uma macieira que o gajo já foi do PSD. Então mas que merda vem a ser esta? Este gajo é do PS ou do PSD? Que foleirada é esta?
Depois tinha a hipótese do Joãozinho Soares o puto do Mário. Bem esse ainda piora um pouco. O gajo é defensor dos paneleiros e das fufas que são duas raças que eu não gramo mesmo nada.
Por fim tinha aquele velhote que faz umas quadras e anda sempre em luta. O cota parece já um iogurte fora do prazo mas quem o ouve não o leva preso. Ele luta pelos valores de Abril, pela democracia, pela liberdade, pela liberdade de expressão, pelo aborto, pelos valores de esquerda, contra a censura, contra o neoliberalismo, contra o Santana Lopes e o Paulo Portas, contra o marido da Bárbara Guimarães, contra os velhos do Restelo (moços do tempo dele) e mais umas 5572 coisas do género. O homem está sempre em luta. Ora eu acho que o homem com tanta luta nem tem tempo para mandar no PS.
Ainda bem que eu não me inscrevi.

22.7.04

Levas com o pão de forma

Aqui a minha terrinha está cada vez mais cheia de panascas de Lisboa. Ainda ontem estava na bicha para comprar o pão que a minha Vivelinda tinha encomendado e estava um parvalhão que chegou à padaria e disse assim para rapariga que estava atrás do balcão:
 
- Olhe, eu sou de Lisboa, tenho o carro mal estacionado, a minha esposa e os meus filhos estão à minha espera para irmos para a praia e por isso preciso que me venda, já, 12 carcaças para o nosso almoço e jantar de hoje.
 
Cá o Zé Vagina olhou para ele de cima a baixo e disse-lhe assim:
 
- Ó meu grande paneleirão, ou esperas aqui no fim da bicha pela tua vez ou espeto-te com um pão de forma pelo olho do cú a dentro.
 
 O gajo olhou para mim e disse:
 
- Isto o Algarve está cada vez pior. Vem uma pessoa de férias para cá para gastar algum dinheiro para estes indígenas não morrerem à fome e ainda tem que ouvir descaramentos destes. É a última vez que cá venho. Para o ano vou passar férias para a Costa da Caparica.
 
O gajo pensou que eu estava a brincar. Virei-me para a empregada da padaria e disse-lhe:
 
-         Ó coisinha, dá lá esse pão de forma que tens aí se queres ver este gajo a comê-lo pelo cu acima com Tulicreme e tudo.
 
O parvalhão do alfacinha percebeu que eu não estava a brincar e bazou a sete pés. Quando chegou ao carro abriu a janela, pôs-se em andamento e disse-me assim:
 
-         Anda cá ó parvalhão que eu parto-te esse focinho.
 
Nunca mais o vi.

Governo swinger

Este governo do Santana só pode ser swinger. Para os totós que estão a ler este blogue e pensam que swinger é uma dança, só lhe posso dizer que são mais burros que uma porta. Swinger é uma coisa mais ou menos assim. Um gajo tem uma Maria e quer comer a Maria do amigo. Para que ninguém fique de fora nem zangado, um gajo come a Maria do amigo e o amigo come a nossa Maria. Ora isto para mim não dá. Eu gosto de comer as Marias dos outros mas não admito que comam a minha.
- Por isso Vivelinda põe-te à sombra que só eu te salto para a espinha.
Por isso se a vossa burrice não for assim como a daquelas gajas com o cabelo amarelo já devem ter percebido que esta cena do swinger é uma espécie de troca de casais. Ora é isto mesmo que se está a passar no governo do Santana. Os tipos e as tipas que vão para secretários de estado, trocam as pastas umas pelas outras para verem qual é a que mais gostam. Ainda ontem aquela moça bonita que roubou o marido à Alexandra Lencastre das mamas boas, quando entrou no Palácio da Ajuda ia tomar posse como secretária de estado da Defesa e da malta que andou a combater no ultramar. Quando saiu, era secretária de estado das festas. O nome não é bem das festas, é qualquer coisa dos espectáculos e de mais não sei o quê. No fundo é a governante que trata dos bailaricos e das festas da paróquia lá do governo.
Depois daquele moço careca ali de Portimão que estava a tratar da Saúde ao pessoal ter sido nomeado para a pasta do turismo que na verdade devia ter sido dada ao meu camarada de ofício Zézé Camarinha, também ele ali da Praia da Rocha e depois de mais sete ou oitos casos parecidos, foi a vez desta moça que já foi Governadora Civil. 
Isto com tanta troca ainda se enganam e depois é que vai ser o bom e o bonito. Imaginem a surpresa quando pensarem que é grelo e sai pepino. Como dizia o outro, até estala.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?